EUA pedem fim do veto a transgênico

Dois dias antes da reunião de cúpula Estados Unidos-União Européia em Washington, o presidente norte-americano, George W. Bush, voltou a conclamar os europeus ontem a abandonar sua oposição aos alimentos geneticamente modificados, dizendo que essa postura está pondo vidas em risco no mundo em desenvolvimento.

Bush disse que a proibição da Europa a alimentos geneticamente modificados está levando produtores rurais do mundo em desenvolvimento a preterir sementes transgênicas devido a temores que seus produtos terão o acesso inderditado ao mercado europeu.

“Agindo com base em temores infundados, sem sustentação científica, muitos governos europeus barraram as importações de todos os novos produtos da biotecnologia. Devido a esses obstáculos artificiais, muitos países africanos evitam investir em biotecnologia, preocupados com a possibilidade de que seus produtos percam seu acesso a importantes mercados europeus.

Para o bem de um continente ameaçado pela fome, conclamamos os governos europeus a pôr fim a sua oposição à biotecnologia”, disse George W. Bush em discurso proferido durante uma reunião de representantes do setor de biotecnologia.

Ao mesmo tempo, os Estados Unidos deixaram claro que levarão a proibição da União Européia aos alimentos geneticamente modificados à apreciação da Organização Mundial de Comércio (OMC).

X