Etanol será tema de diálogo entre Brasil e EUA no 2º mandato de Obama

A formação de um mercado global de etanol com a participação de Estados Unidos e Brasil foi uma ideia lançada ainda no governo George W. Bush. Agora, no recém iniciado segundo mandato de Barack Obama, a proposta ganha novamente força, apontam especialistas ouvidos pela BBC.

A cooperação bilateral pode se intensificar porque o mercado norte-americano começa a encaminhar-se para a utilização da mistura de etanol à gasolina. O primeiro passo foi a derrubada das barreiras para a entrada do produto brasileiro em 2011. Porém, a expectativa enfraqueceu porque o país acabou tendo de importar etanol dos EUA em função da queda da produção brasileira.

Mais do que simples trocas comerciais, já existem projetos de cooperação em pesquisa sobre biocombustíveis, para a formação de centros de produção internacionais e pela normatização dos padrões técnicos do etanol.

Contencioso do algodão

Ainda pendente na Organização Mundial do Comércio, a disputa entre o Brasil e Estados Unidos no “Contencioso do Algodão” também deve ser tema de diálogo com o presidente reeleito. O último capítulo foi uma vitória brasileira, que lhe deu o direito de retaliar os norte-americanos em quase US$ 830 milhões por subsídios governamentais a produtores de algodão.

Esperada para o ano passado, uma nova Lei Agrícola corrigindo os subsídios deve ser aprovada nessa legislatura em Washington, D.C., sendo pauta do segundo mandato de Obama.

X