Etanol produzido em MT é o mais barato do país, diz ANP

Mato Grosso tem o álcool hidratado mais barato do país. De acordo com levantamento de preços da Agência Nacional de Petróleo, Biocombustíveis e Gás Natural (ANP), referente ao período de 30/11 a 06/12, o litro do produto foi vendido a R$ 1,23, em média, nas bombas. O segundo menor preço foi verificado em São Paulo onde o combustível foi comercializado por R$ 1,30, seguido pelo Paraná com R$ 1,43.

A baixa nos preços tem duas interpretações. De um lado, o consumidor é o maior beneficiado, pois tem de desembolsar menos em relação aos motoristas de todo o Brasil. Porém, a redução reflete em uma situação difícil que as usinas sucroalcooleiras estão enfrentando em decorrência da maior oferta do produto no mercado.

O diretor-executivo do Sindicato das Indústrias Sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool-MT), Jorge dos Santos, afirma que, por mais que seja bom para os consumidores mato-grossenses o preço mais acessível em relação a outras unidades da federação, não é bom para a usina, pois o setor não se sustenta com o litro do combustível vendido por menos de R$ 1,50 nos postos. “Com estes preços tão baixos não sabemos por quanto tempo a cadeia vai suportar”.

Santos informa que os estoques de álcool existentes em Mato Grosso e no país são suficientes para atender a demanda, e que os consumidores não correm risco de desabastecimento. Ele diz que as usinas do Estado já paralisaram a atividade nesta safra e só devem retornar à atividade em março de 2009, quando começará a safra 09/10.

“Estamos fechando o balanço da safra de Mato Grosso e nos próximos dias devemos ter o resultado de quantas toneladas de cana foram moídas e qual o volume de álcool anidro e hidratado que foi produzido”, diz o diretor ao informar que em Minas Gerais, Goiás e São Paulo as usinas continuarão trabalhando, pois não foi processada toda a cana produzida nestas localidades.

Enquanto o álcool de MT é o mais barato do país, a gasolina é a quarta mais cara negociada por R$ 2,70 (o litro), segundo a ANP. (Fabiana Reis)

X