Etanol feito no Paraná atrai países integrantes do Ibrics

Konstantin Kamenev, cônsul da Rússia, e o governador Beto Richa, em Curitiba (Foto: Arnaldo Alves / ANPr)
Konstantin Kamenev, cônsul da Rússia, e o governador Beto Richa, em Curitiba (Foto: Arnaldo Alves / ANPr)

Brasil, Rússia, Índia, China e África do Sul avaliam a criação de núcleo de empresas para troca de experiências em áreas do agronegócio, entre elas o sucroenergético.

Leia mais: 8 informações sobre projeto que prevê mudanças nos biocombustíveis

Conforme apurou o Portal JornalCana, a proposta está em projeto do Ibrics, nome de instituto que contempla os cinco países, e pretende integrar a expertise de produção de etanol por unidades sucroenergéticas do estado do Paraná.

Leia mais: 4 expectativas do setor sucroenergético pelo novo ministro da Agricultura

A criação do núcleo de empresas foi discutida na quinta-feira (12), em Curitiba (PR), entre o cônsul-geral da Rússia em São Paulo, Konstantin Kamenev, e o governador paranaense Beto Richa.

“Queremos criar uma cadeia produtiva com vantagens para as empresas brasileiras”, disse o cônsul, conforme divulgação da Agência Paraná de Notícias.

Contate o autor deste conteúdo: delcymack@procana.com.br

 

X