Estocagem pode ser a saída para barrar queda do álcool

A liberação de R$ 500 milhões para estocagem de álcool, já em disponibilidade nos bancos, pode barrar a queda dos preços do álcool anidro e hidratado no mercado internacional. Segundo levantamento do Cepea – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, as cotações do álcool continuam caindo à medida que a colheita de cana de açúcar avança no Centro-Sul do país.

A elevação da mistura de 20% para 25%, a partir de junho, também pode dar sustentação, com redução do ritmo de queda das cotações, acreditam os analistas de mercado. O litro do anidro fechou a R$ 0,652 na semana passada, com recuo de 3,4% sobre a semana anterior. O hidratado, a R$ 0584 o litro, registra variação negativa de 3,9% sobre o mesmo período, de acordo com o Cepea. Desde início da safra, em abril, acumula desvalorização de 35% e 30%, respectivamente.

Os recursos, de origem da Cide (Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico), com juros de 11,5% ao ano, são suficientes para a estocagem de 700 milhões de litros.

Estocagem pode ser a saída para barrar queda do álcool

A liberação de R$ 500 milhões para estocagem de álcool, já em disponibilidade nos bancos, pode barrar a queda dos preços do álcool anidro e hidratado no mercado internacional. Segundo levantamento do Cepea – Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada, as cotações do álcool continuam caindo à medida que a colheita de cana de açúcar avança no Centro-Sul do país.

A elevação da mistura de 20% para 25%, a partir de junho, também pode dar sustentação, com redução do ritmo de queda das cotações, acreditam os analistas de mercado. O litro do anidro fechou a R$ 0,652 na semana passada, com recuo de 3,4% sobre a semana anterior. O hidratado, a R$ 0584 o litro, registra variação negativa de 3,9% sobre o mesmo período, de acordo com o Cepea. Desde início da safra, em abril, acumula desvalorização de 35% e 30%, respectivamente.

Os recursos, de origem da Cide (Contribuição de Intervenção de Domínio Econômico), com juros de 11,5% ao ano, são suficientes para a estocagem de 700 milhões de litros.

X