Estiagem reduz em 10% a produção de cana em Sonora

Enquanto os produtores do sul do Estado comemoram a chegada das chuvas que podem proporcionar uma produção recorde de milho na safrinha, de 1,2 milhão de toneladas somente em Dourados; no município de Sonora, extremo norte de Mato Grosso do Sul, a 360 km de Campo Grande, os plantadores de cana registram uma perda de até 10% na safra em função da estiagem. Ontem, até as 18 horas, a cidade não havia registrado uma precipitação sequer, apesar do frio e da neblina seca.

Segundo informações da assistência técnica na região, no município estão plantados 15 mil hectares de cana-de-açúcar. Apesar de a cultura estar em plena safra, existe um grande volume de plantas novas, diz um agrônomo da região. A seca, que se arrasta por mais de um mês, está afetando a produção da única usina de álcool da região, a Usina Sonora. A indústria moe a cada safra 1,1 milhão de toneladas de cana, produzindo, na safra passada, 60 milhões de litros de álcool e 800 mil sacos de açúcar.

“Estamos rezando por chuva, que não aparece por aqui desde o último dia 20 de abril”, frisou o agrônomo. Já em São Gabriel do Oeste, a situação é mais favorável. Segundo a Secretaria Municipal de Agricultura, nos últimos dois dias as chuvas atingiram 10 milímetros. Um volume menor do que o registrado no sul do Estado, porém suficiente para garantir o bom desenvolvimento dos 40 mil hectares cultivados de milho, 2 mil de trigo e 35 mil de sorgo granífero.

X