Especialista alerta: calcário deve conter selo de qualidade sindical

O setor de corretivos por intermédio do Sindicato das Indústrias de Calcário e Derivados para Uso Agrícola do Estado de São Paulo – Sindical instituiu o Selo de Qualidade Sindical. O selo indica que o calcário é de origem e possui as qualidades necessárias para produzir os efeitos vitais que a terra necessita. “Exija esse selo pois é a garantia de que o calcário adquirido atende as exigências mínimas que seu solo necessita, além de indicar que é de origem”, alerta o diretor do Sindical, Euclides Francisco Jutkoski.

O Sindical tenta ainda difundir a calagem e seus benefícios para a agricultura. “O calcário colabora para a conservação do solo, do meio ambiente e dos recursos hídricos. Temos que praticar a calagem, mas somente com calcário de procedência”, diz.

Segundo Jutkoski, além dos recursos hídricos, o solo é o principal patrimônio da humanidade. “Sem ele será impossível a produção de alimentos, condição primordial para a preservação da humanidade. É cientificamente provado que a água de qualidade e quantidade satisfatória indica que o solo está sendo bem manejado e as áreas verdes preservadas. E o manejo certo do solo só é possível com correção de sua acidez através da aplicação de calcário (calagem)”.

Para ele, o calcário deve possuir as qualidades necessárias para que o solo, de fato, seja corrigido e que os nutrientes sejam melhores absorvidos pelas plantas. “Não podemos aplicar qualquer calcário em nossa terra, principalmente aqueles que não sabemos sequer a origem e se possuem a natureza corretiva”, lembra.

X