Emater orienta produtor de cana para obtenção de mudas sadias

Na hora de reformar o canavial muitas vezes o produtor não consegue obter mudas de qualidade sanitária satisfatória porque muitas vezes a área pode estar contaminada por doenças. A informação é da Empresa de Assistência Técnica e Extensão Rural do Estado de Minas Gerais – Emater.

Por isso, para garantir um canavial sadio o agricultor deve tomar as seguintes medidas, segundo o Emater: sempre mergulhar o facão de corte das canas em uma solução de água e amônia quartenária 2% (2 litros da amônia para cada 100 litros de água), para eliminar o risco de propagação de doenças; as mudas provenientes do próprio canavial ou de outros devem passar por um tratamento térmico simples . “Os toletes de cana, com cerca de 16 a 18 gemas viáveis, devem ser mergulhados em água quente a uma temperatura máxima de 50,5°C, controlada por um termômetro, por cerca de 30 minutos, e armazenadas em lugar limpo, longe de outras mudas não tratadas, até o plantio. O tratamento pode ser feito em tambores de 200 litros. O objetivo é eliminar o risco de contaminação da cana por doenças como o raquitismo das soqueiras, nematoides e o carvão”, orientam os técnicos da Emater.

X