El Niño virá ou não este ano? Especialista dá 3 explicações sobre o fenômeno

Foto: Wikimedia Commons

A expectativa em torno do El Niño afetar a safra de cana-de-açúcar 2017/18 é recorrente no setor sucroenergético. Esperado para o segundo semestre, o fenômeno climático pode afetar o rumo da moagem de cana nas unidades do Centro-Sul e mesmo nas do Norte e Nordeste, cuja safra está prevista para começar a partir de agosto próximo.

Mas o El Niño virá mesmo? A Rádio USP produziu entrevista com o professor Fábio Marin, do Departamento de Engenharia de Biossistemas, da Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq), em Piracicaba (SP).

Confira 3 explicações do especialista para a Rádio USP.

1

Sem indicativos

Marin revela que, pelo menos por enquanto, não existe indicativo de que o fenômeno possa ocorrer e considera precipitada qualquer avaliação dessa natureza, ou mesmo de que isso possa contribuir para o retorno da inflação.

2

Sem sinais de problemas

Supondo-se, no entanto, que o El Niño realmente ocorra, não há sinal claro de que possa ocasionar problemas no setor agrícola. “Nós já tivemos anos com o El Niño em que a situação da agricultura foi favorecida e também já tivemos anos em que foi prejudicada.” O fenômeno pode ocorrer a qualquer momento, mas não se consegue tão facilmente fazer previsões acerca de se irá ou não afetar a safra agrícola  e tampouco sobre seus efeitos na inflação.

3

Chuva e estiagem 

“Quando o El Niño está bem caracterizado, o que não é o caso deste ano, temos um quadro de chuva excessiva no Sul do País e seca no Norte/Nordeste”, explica Marin. Já as regiões Sudeste e Centro-Oeste não apresentam o mesmo padrão de comportamento – tanto podem apresentar seca como períodos de chuva intensa.

 

X