EBITDA ajustado da Raízen cai 6% no terceiro trimestre da safra 18/19

A soma de menores preços realizados de açúcar com a queda de vendas da commodity é a principal responsável pela redução de 6% do EBITDA Ajustado da Raízen Energia, joint venture da Cosan e da Shell, maior processadora de cana-de-açúcar do País.

A queda de 6% do EBITDA Ajustado foi no terceiro trimestre (3T19) da safra de cana-de-açúcar 2018/19. Segundo divulgação da companhia. a queda nos volumes vendidos de açúcar no período foi de 46%, em linha com a estratégia de comercialização para a safra.

No total, a moagem de cana pelas unidades da Raízen até dezembro totalizou 60 milhões de toneladas, 2% abaixo do processamento da matéria-prima na safra anterior.

Já a produtividade agrícola, medida em quilos de ATR por hectare, foi 7% inferior na comparação entre os anos-safra, em função do clima seco.

Conforme a empresa, apesar da menor moagem, a produção de açúcar equivalente aumentou 1% devido ao melhor
desempenho industrial. A produção de etanol atingiu nível recorde, encerrando a safra com 53% de etanol no mix
(versus 45% no acumulado dos 9 meses do ano-safra 2017/18), com foco na maior rentabilidade do produto.

 

Confira mais informações sobre o 3T19 da Raízen Energia: 

 

 

 

 

 

 

Clique aqui para acessar PDF do relatório da Raízen no 3T19

 

X