DuPont ampliará instalações no Mato Grosso

duA DuPont do Brasil S/A, braço da americana DuPont, oficializou requerimento junto à Secretaria de Estado do Meio Ambiente do Mato Grosso (Sema).

No requerimento, a companhia, que também investe na produção de enzimas para etanol celulósico, pede licença de operação para ampliação na atividade de beneficiamento, armazenamento e preparação de outros produtos de origem vegetal.

Leia mais: DuPont investe no Paraná através da Pionner

A ampliação, conforme a DuPont, é uma primeira e diz respeito a unidade localizada no Distrito Industrial do município de Primavera do Leste (MT).

Conforme o requerimento, a atividade isenta elaboração de Estudo de Impacto Ambiental.

Leia mais: Fusão entre Dow e DuPont criam potência agroquímica

 

União com a Dow

Em 14/12/2015, a DuPont (NYSE:DD) e a Dow Chemical Company (NYSE:DOW) anunciaram que seus respectivos Conselhos de Administração aprovaram por unanimidade um acordo definitivo sob o qual as empresas vão se combinar em uma fusão igualitária de toda a participação acionária. Dessa fusão, resultará a DowDuPont.

Conforme relato da assessoria da DuPont, as partes pretendem prosseguir posteriormente com a separação da DowDuPont em três grandes companhias independentes de capital aberto por meio de spin-offs livres de impostos. Isso ocorrerá assim que viável, possivelmente dentro de 18 a 24 meses após a conclusão do processo de fusão, sujeito à aprovação regulatória e do conselho.

As empresas incluirão uma líder global no segmento de Agricultura;  uma companhia líder em Ciência de Materiais; e uma companhia de Produtos Especializados, com  tecnologia de ponta e orientada para a inovação. Cada uma delas terá um foco claro, uma estrutura de capital adequada, um plano de investimento distinto e sólido, vantagens de escala, e investimentos concentrados em inovação para oferecer soluções e opções de escolha para os clientes.

Leia mais: DuPont tem novo CEO

Redução de custos

Também em dezembro de 2015, a DuPont anunciou uma redução de custos global e um plano de reestruturação destinados a economizar US$ 700 milhões em 2016. A redução de custos incluirá um conjunto de ações estruturais em todas as unidades de negócios e funções da companhia com o objetivo de ter operações mais eficientes. O novo plano dá continuidade à reestruturação operacional da DuPont.

O plano simplificará a estrutura da companhia em um número menor de unidades de negócios e funções mais integradas, o que levará à redução sustentável de custos, processos mais rápidos para tomada de decisão e conexões mais estreitas com os mercados.  Essas mudanças teriam início imediato.

Como resultado dessas ações, a DuPont espera registrar encargos de aproximadamente US$ 780 milhões de pré-impostos sobre ganhos, dos quais cerca de US$ 650 milhões em custos relacionados à demissão de funcionários e cerca de US$ 130 milhões em custos associados a ativos e rescisão de contratos. Aproximadamente 10% da força de trabalho global da DuPont serão afetados.

A DuPont também destacou as previsões macroeconômicas para 2016.  Tendo em vista as condições econômicas globais na agricultura e nos mercados emergentes, a companhia acredita que um crescimento das vendas em 2016 será desafiador. O impacto negativo do câmbio deverá ser de aproximadamente US$ 0,25 por ação, em função do fortalecimento contínuo do dólar norte-americano principalmente em relação ao real.

A companhia também espera registrar um impacto de US$ 0,05 a US$ 0,10 por ação por conta da pressão de uma maior base tributária, refletindo as expectativas do mix geográfico dos ganhos e redução de custos que serão reconhecidos principalmente nos Estados Unidos. A empresa planeja apresentar suas perspectivas para 2016 durante o anúncio dos resultados do quarto trimestre de 2015, programado para o dia 27 de janeiro de 2016.

X