Dívida líquida de usinas com banco está em R$ 119 por tonelada de cana, diz Rabobank

A dívida líquida bancária das usinas de cana-de-açúcar está em R$ 119 por tonelada de cana. O valor, que reflete a situação durante a safra 2016/17, é o mais atualizado pelo Rabobank, segundo seu executivo Manoel Queiroz, durante palestra na 2a. Reunião 2017 Canaplan, realizada em 17/10 em Ribeirão Preto (SP).

Segundo Queiroz, os números representam a situação das empresas que são clientes do Rabobank. Na temporada 16/17, segundo ele, eram clientes da instituição 32 grupos sucroenergéticos. “Eles representam 50% da safra brasileira de cana”, disse o executivo durante a palestra.

Conforme o executivo do Rabobank, o endividamento líquido das usinas com os bancos caiu ante a safra 15/16, quando estava em R$ 136 por tonelada, e mesmo ante a temporada 14/15, que registrou dívida de R$ 149 por tonelada.

“Parte da queda se deve à depreciação do câmbio”, explicou Queiroz. Essa depreciação, acrescentou, equivale a 50% do valor da queda.

“O restante [da queda] foi geração de caixa pelas empresas, o que é positivo depois de um grande período nulo.”

 

Acompanhe o ritmo do valor da dívida líquida das usinas com bancos:

Fonte: Rabobank/Canaplan

X