Dilma defende novo modelo energético

A ministra de Minas e Energia, Dilma Rousseff, defendeu hoje a existência dos órgão reguladores no novo programa energético do País. Segundo ela, a prioridade do novo programa é reduzir as tarifas cobradas dos consumidores. Segundo ela, a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) será mantida e terá sua atuação concentrada na regulação, fiscalização, e, em alguns casos, na mediação. A ministra disse ainda que o novo modelo vai aperfeiçoar o Operador Nacional do Sistema (ONS) e ainda criar outros dois órgão reguladores, um para planejamento e outro para contratação. Dilma Rousseff disse que o novo programa energético vai priorizar menores tarifas para o consumidor, sem deixar de considerar a remuneração do investidor.

X