Destilaria de etanol Londra tem safra sem entressafra. Diretor detalha ganhos e perdas da medida

Valler, diretor da Destilaria Londra: safra ininterrupta e moagem de 1 milhão de toneladas
Valler, diretor da Destilaria Londra: safra ininterrupta e moagem de 1 milhão de toneladas

Pela primeira vez em sua história de 36 safras, a Destilaria Londra fica sem entressafra. Emendou o ciclo 2015/16 com o 16/17.

Controlada pela família Valler, a unidade produtora de biocombustível está localizada no município de Itaí (SP) e integra o grupo de 32 unidades de cana-de-açúcar que, segundo a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), entraram a entressafra em plena moagem na região Centro-Sul do País.

Durante a visita da equipe do Portal JornalCana, na segunda quinzena de fevereiro último, os técnicos da Destilaria Londra dividiam as funções de operação de moagem com as de gestão de adequações de equipamentos. Aproveitam os momentos nos quais determinados equipamentos podem ficar sem uso para providenciar os ajustes, muitos feitos por empresas prestadoras de serviços.

Ter uma safra sem entressafra ajuda na produção de etanol com a cana bisada, e gera caixa. Mas há ATR baixo e as chuvas, que afetaram as regiões canavieiras da unidade em fevereiro e começo de março, interromperam por diversas vezes o processo de colheita e, por consequência, da moagem.

A entrevista

Renato Valler, diretor da Destilaria Londra, detalha, em entrevista ao Portal JornalCana, os ganhos e perdas de ter uma safra sem entressafra.

É a primeira safra sem parar para entressafra da Destilaria Londra?

Renato Valler – Sim. A Londra iniciou moagem em 1980 e foram 36 safras convencionais. Essa é a primeira vez que emendamos uma safra a outra.

Por que houve a moagem ininterrupta?

Renato Valler – A oferta era de 1,150 milhão de toneladas de cana-de-açúcar, mas devido as chuvas não foi possível moer tudo no período normal. Tivemos 200 mil toneladas de cana que seriam bisadas, e a opção foi a de moer tudo.

E as perdas?

Renato Valler – Tá bravo. Temos muita perda em ATR. Temos uma safra que normalmente é muito longa, começando em março e terminando em dezembro. Por isso o ATR médio já é baixo. Chegamos a 100 quilos de ATR por tonelada de cana, e às vezes nem isso.

E por que houve a decisão de moer direto?

Renato Valler – Para aproveitar a oferta de cana e o preço bom do etanol.

A Londra faz o hidratado e o anidro?

Renato Valler – Sim, mas agora fazemos o hidratado. O anidro é produzido mais no meio do ano.

Qual foi a produção dos dois tipos de etanol em 2015?

Renato Valler – 70 milhões de litros.

Qual a moagem de cana prevista para 2016?

Renato Valler – Deveremos moer 1 milhão de tonelada.

Então sempre haverá cana bisada?

Renato Valler – Sim, porque tradicionalmente a safra da Londra começa em março.

Quanto da cana é própria?

Renato Valler – 85% do total são próprias e o restante de parceiros, mas fazemos todo o trabalho de CCT. É quase um arrendamento.

 

 

 

 

X