Deputada americana busca conhecimento sobre setor sucroenergético no Brasil

Interessada em levar o conhecimento e experiência brasileiros sobre biocombustíveis para o seu estado, a deputada americana Rachel Storch, de Missouri, visitou a União da Indústria de Cana-de-Açúcar (UNICA) nesta segunda-feira (10/11/08).

A primeira questão formulada por Storch foi sobre o equilíbrio entre oferta e demanda por etanol no mercado brasileiro. A relações institucionais da UNICA, Carolina Costa, que recebeu a deputada, afirmou que a demanda interna por etanol tem crescido bastante nos últimos anos, especialmente a partir de 2003, devido ao aumento da frota de automóveis flex no país.

“A expectativa é de que, em breve, a demanda cresça ainda mais, devido ao lançamento das motocicletas flex e ao uso de etanol como combustível em outros veículos, como ônibus e até aviões agrícolas”, disse Costa.

Storch considerou positivo o fato de as usinas de cana brasileiras serem auto-suficientes em energia elétrica, por meio da queima do bagaço e da palha em caldeiras de alta pressão. Ou seja, o Brasil tem nas sucroenergéticas mais uma fonte de energia elétrica limpa e renovável, tanto para o consumo próprio das indústrias como para oferta de excedentes ao Sistema Elétrico Nacional.

A influência da futura administração do presidente eleito dos Estados Unidos, Barack Obama, no setor sucroenergético brasileiro foi discutida durante a reunião como um fator positivo. O Partido Democrata possui uma agenda muito forte contra a mudança climática e o aquecimento global, o que poderá favorecer os negócios com o etanol de cana-de-açúcar brasileiro no país, já que os benefícios do etanol de cana para o meio ambiente estão muito acima dos biocombustíveis produzidos de outras matérias-primas.

Para cada unidade de energia fóssil usada no processo produtivo de etanol de cana-de-açúcar – que inclui o cultivo da planta, o transporte, a industrialização e o uso do biocombustível –, são geradas 9,3 unidades de energia renovável. A energia gerada pelo etanol de cana-de-açúcar por unidade de energia fóssil utilizada em sua produção é 4,5 vezes maior do que a obtida pelo etanol de beterraba ou de trigo e quase sete vezes maior do que a gerada pelo etanol de milho.

Costa apresentou ainda uma síntese do Relatório de Sustentabilidade que está sendo produzido pela UNICA, com base nas diretrizes internacionalmente reconhecidas do Global Reporting Initiative (GRI). O documento apresenta para a sociedade brasileira e para a opinião pública internacional o que o setor sucroenergético tem feito na esfera do desenvolvimento sustentável, dentro dos pilares ambiental, social e econômico.

Storch veio ao Brasil pelo programa Eisenhower Fellowships, uma instituição que promove intercâmbio de líderes da academia e políticos em várias partes do mundo.

X