Datagro: investimentos em novas usinas voltarão com regra clara e política fiscal

Apesar do cenário positivo para o açúcar e o etanol, os novos investimentos no setor sucroenergético brasileiro só virão com a criação de regras claras para o combustível e ainda com a definição de políticas fiscais federal e estadual, na avaliação do presidente da consultoria Datagro, Plinio Nastari, durante a Fenasucro, em Sertãozinho (SP).

“Os investimentos só voltarão quando ficar clara a definição da regra de competitividade entre etanol e gasolina e ainda qual será a regra seguida pela Petrobras para o preço da gasolina na refinaria. Não existe ainda uma clareza da política fiscal, federal e estadual”, disse Nastari.

“Enquanto essa política não ficar conhecida e definida de forma transparente, não haverá segurança para a retomada de investimentos.” Segundo Nastari, até que essas regras não sejam definidas, os investimentos para o setor serão destinados para o aumento da capacidade de moagem e para a produção de açúcar, etanol anidro e ainda mecanização nas lavouras.

Para o presidente da Datagro, o aumento da produção de açúcar será utilizado, desde que haja a oferta de matéria-prima, para que o Brasil tente suprir o déficit mundial a commodity, que ultrapassará 15 milhões de toneladas entre 2015 e 2017. “Esse é o maior nível de déficit acumulado em dois anos na história e faz com que o fluxo de comércio fique mais apertado e os preços mais firmes. No Brasil, a ampliação da capacidade industrial de açúcar, dependendo da disponibilidade de matéria-prima, pode ser utilizada para aumento de produção e atendimento do déficit”, afirmou.

Fonte: (Estadão)

X