Curso estimula uso de bioenergia em Alagoas

O Arranjo Produtivo Local Mandioca no Agreste de Alagoas reúne nesta sexta-feira (31), na sede da Associação Comunitária de Mata Limpa, em Lagoa da Canoa, AL, profissionais, produtores, técnicos do setor público, professores, consultores e gestores do terceiro setor para a oficina “Bioenergia e Gestão de Resíduos no Meio Rural”. O objetivo é estimular a produção e utilização de bioenergia no meio rural, sobretudo com o aproveitamento da manipuera.

Na pauta estão temas relacionados à utilização dos resíduos provenientes da mandiocultura, redução de custos, produção de bioenergia em sistemas de produção de biogás, etanol, biofertilizantes e bioinseticidas.

De acordo com o gestor do APL Mandioca na Secretaria de Estado do Planejamento e do Orçamento (Seplan), Nelson Vieira, o objetivo do curso é capacitar os produtores para que eles possam aproveitar o potencial dos resíduos da manipuera, gerando emprego, renda e o desenvolvimento sustentável dos agricultores.

“Ainda estamos em fase experimental, realizando pesquisas para saber as diferentes formas de exploração desta matéria-prima, e o resultado tem sido excelente. Antes, quando falávamos em mandioca, só pensávamos no aproveitamento dela como farinha. Agora, a visão é bem mais ampla. Produzimos biscoitos, ração e podemos usá-la como bioenergia”, disse Vieira.

A perspectiva é que essas matérias-primas renováveis substituam, gradativamente, o uso do carvão mineral e petróleo, resultando em benefícios sócio-ambientais, como a redução do desmatamento. A oficina é realizada pelo Instituto Eco-Engenho em parceria com Governo do Estado, Sebrae/AL, prefeitura de Lagoa da Canoa e Associação dos Beneficiadores de Mandioca do Estado de Alagoas (Abeman).

X