Curso agrícola ensina formas de se melhorar a qualidade da cana-de-açúcar

Desde as primeiras horas desta quarta-feira (4 de junho), diretores, técnicos e engenheiros agrônomos de dezenas usinas e destilarias de álcool estão participando do primeiro curso agrícola do ano, oferecido pela UFSCar/UDOP/STAB. O evento acontece em Araçatuba, e tem como tema: “Produção de cana de qualidade para a indústria sucroalcooleira”. O curso tem o apoio cultural da DuPont do Brasil.

Segundo a Profª. Drª. Márcia Justino Rossini Mutton, palestrante do curso, encaminhar uma cana de qualidade para a usina é um objetivo a ser perseguido por todos os setores que envolvem tanto a fabricação de álcool quanto de açúcar. “A contaminação da cana com impurezas acontece normalmente entre os processos finais e intermediários, principalmente no corte, manejo, carregamento, transporte e na própria indústria, o que significa perdas irreparáveis, pois teremos uma matéria-prima de baixa qualidade que não renderá a contento”.

Para se diminuir esta contaminação, Márcia explica que o ideal é que se tenha um cuidado redobrado com o manuseio desta matéria-prima. “O encaminhamento da cana-de-açúcar para o processo industrial merece todo o nosso carinho, cuidado e planejamento. Isso porque muitas vezes nós passamos 12 ou 18 meses preocupados durante a safra com o manejo da cultura, investindo capital, trabalho e tempo, e quando chegamos ao final do processo, que a cana tem o máximo de acúmulo de açúcar, muitas vezes por negligência de alguma operação acabamos perdendo esse açúcar que foi armazenado ao longo de tanto tempo”.

Na visão da professora, nos últimos anos as unidades industriais passaram a se preocupar mais com a qualidade da matéria-prima a ser processada, prova disto é que os setores agrícola e industrial estão mais afinados com estas questões. “O que falta agora é um comprometimento do setor administrativo, que ainda deixa um pouco a desejar, já que ele é responsável muitas vezes por determinações que vão afetar diretamente no processo”, disse Márcia.

Como mensagem final aos participantes do curso agrícola, Márcia destacou que todos devem tratar a cana-de-açúcar com muito carinho. “Devemos inclusive conversar com a cana, sentir o que a cultura está nos exprimindo, pois entendendo esse comportamento, poderemos melhorar suas condições e aliar métodos mais eficazes de corte, manejo e transporte, conseguindo assim entregar para a indústria uma cana rica em qualidade e sem impurezas”, finaliza.

Além da palestra da professora Márcia, os participantes ainda ouviram estudos de casos feitos com as usinas Equipav, Usina São José da Estiva, Nova América e Maracaí.

O conteúdo total do curso oferecido pela UFSCar/UDOP/STAB estará disponibilizado neste site a todos os profissionais que participaram do evento.

X