CTC lança três variedades de cana em Ribeirão Preto

O CTC (Centro de Tecnologia Canavieira) lançou ontem (14), em Ribeirão Preto, SP, a quarta geração de variedades de cana-de-açúcar. Denominadas CTC16, CTC17 e CTC18, têm capacidade de adaptação a diferentes regiões produtoras. Uma série de lançamentos será realizada até o dia 11 de novembro, em nove cidades brasileiras. Hoje (15) é a vez de São José do Rio Preto. Amanhã, Araçatuba.

As novas variedades apresentam avanços em relação ao teor de sacarose, produtividade e resistência a doenças, além de favorecer a colheita mecanizada de cana crua. De acordo com o diretor superintendente do CTC, Nilson Zaramella Boeta, a série de lançamentos foi programada para comemorar o desempenho do órgão de pesquisa nos últimos anos e mostrar produtos e serviços para as 180 usinas associadas.

O diretor de pesquisa e desenvolvimento do CTC, Tadeu Andrade, explica que as três variedades foram desenvolvidas com base em critérios edafoclimáticos, considerando diversas combinações entre solo e clima encontradas nos diferentes ambientes de produção do Brasil. “Nos últimos quatro anos aconteceram pelo menos 50 ensaios em 24 usinas. Ao final obtivemos excelentes cultivares, capazes de impulsionar a produtividade em todas as áreas de cana-de-açúcar”, afirma.

Segundo o diretor de mercados e oportunidades do CTC, Osmar Figueiredo Filho, nos últimos quatro anos o CTC lançou 18 variedades de cana-de-açúcar para plantio. “As três variedades que chegam agora para plantio comercial trazem opções inéditas de manejo para unidades produtoras de açúcar, etanol e energia”, conta Figueiredo.

Atualmente, o CTC mantém unidades regionais e pólos de seleção varietal instalados em pontos estratégicos da produção nacional de açúcar, etanol e energia, nas regiões Nordeste, Sudeste, Sul e Centro-Oeste. As empresas associadas ao centro respondem por 60% da cana moída no Brasil.

Variedades

A CTC16 apresenta alto teor de sacarose, produtividade e rápido fechamento. As soqueiras mostraram boa brotação e longevidade na colheita mecanizada de cana crua. De PUI (Período Útil de Industrialização) longo e alto teor de fibra, é recomendada para cultivo na maior parte da safra. Adapta-se a ambientes com alto potencial de produção e também no sistema cana de ano. É resistente à ferrugem, ao carvão, à escaldadura e ao amarelecimento, além de responder bem aos maturadores químicos.

A CTC17 se destaca quanto à precocidade e ao alto teor de sacarose. Recomendada preferencialmente para colheita no início da safra, apresenta bom desempenho em solos arenosos e ambientes de baixo potencial produtivo. Mostrou-se estável em ambientes restritivos. Com teor de fibra médio, é resistente ao mosaico, à escaldadura e ao amarelecimento e responde bem a maturadores químicos.

a CTC18 possui alta produtividade em todos os cortes, inclusive em regiões de déficit hídrico, com boa tolerância à seca. Possui bom perfilhamento, brotação e longevidade de soqueira, inclusive na colheita mecanizada de cana crua. Recomendada para colheita até o meio da safra, conta com alto teor de fibra. É resistente à ferrugem, à escaldadura, ao mosaico e ao amarelecimento e também responde bem a maturadores químicos.

Biofábrica

O CTC contará em breve com uma nova Biofábrica, projeto de alta tecnologia que será instalado em Piracicaba, SP. O local servirá de suporte à produção de mudas e ao desenvolvimento varietal. “Com a Biofábrica teremos capacidade extraordinária de produzir mudas, para atender à crescente demanda dos associados”, observa Boeta

Outro serviço de destaque será o CTCSat, sistema que possibilitará a obtenção de mapas gerenciais gerados através de imagens de satélite, nos 3,2 milhões de hectares de cana-de-açúcar cultivados pelas 180 associadas ao órgão. A ferramenta permitirá a identificação de falhas nas lavouras, ataques de pragas, entre outras ocorrências.

A partir de 2009, com apoio da tecnologia denominada Marcadores Moleculares e de um novo Laboratório de Biotecnologia, o CTC passará a promover a seleção de variedades de cana com base em DNA − e igualmente aplicada a ambientes de produção edafoclimáticos.

Os lançamentos das três variedades de cana também serão realizados em Goiânia, GO (21/10), Maceió, AL (23/10), Maringá, PR (28/10), Dourados, MS (30/10), São Mateus, ES (4/11) e Piracicaba, SP, (11/11).

X