CTC lança duas variedades de cana com alto teor de sacarose

O CTC – Centro de Tecnologia Canavieira – acaba de anuciar a liberação para plantio comercial de duas novas variedades de cana-de-açúcar: a CTC21 e a CTC22, que formam a sexta geração de variedades lançada desde 2005 pelo centro de pesquisas.

Segundo o diretor superintendente do CTC, Nilson Boeta, a obtenção das novas variedades está em linha com o compromisso do centro de pesquisas de atender aos diversos ambientes de produção encontrados no Brasil, inclusive os mais restritivos. “Para isso, investimos nos últimos anos na abertura de polos regionais de pesquisas, em áreas estratégicas do cultivo da cana-de-açúcar”, explica o executivo.

Antes da liberação para cultivo, diz Boeta, as variedades CTC21 e CTC22 foram testadas para todas as variáveis agronômicas e industriais. Nos últimos anos, as novas variedades foram avaliadas com todos os detalhes técnicos por 25 empresas associadas, que representam os ambientes edafoclimáticos da cultura no Brasil.

O diretor de Pesquisa & Desenvolvimento (P&D), Tadeu Andrade, destaca que as duas novas variedades são de elevada precocidade, com alto teor de sacarose, recomendadas para manejo no início da safra, com colheita até os meses de julho e agosto. Ambas também apresentam, segundo ele, resistência às ferrugens marrom e alaranjada, ao carvão e ao mosaico, à escaldadura e ao amarelecimento. Em relação à broca Diatraea ou broca da cana, as variedades mostram resistência intermediária. “Durante os processos de hibridação, seleção e ensaios de competição, CTC21 e CTC22 foram comparadas às principais variedades hoje utilizadas no setor, e registraram indicadores superiores de produtividade agrícola, teor de sacarose e resistência a doenças”, ressalta Andrade.

Já o coordenador de Pesquisa & Desenvolvimento, Arnaldo Raizer, salienta que as duas novas variedades adaptam-se melhor aos ambientes com potencial de produção médio e alto, em condições específicas encontradas principalmente nas regiões Centro-Sul e Nordeste. “As soqueiras das duas variedades mostraram ótima brotação e longevidade, inclusive na colheita mecanizada de cana crua”, complementa o pesquisador. Raizer informa ainda que somente nos últimos três anos foram realizados 41 ensaios técnicos envolvendo a CTC21 e a CTC 22.

X