Crystalsev também quer entrar no setor de distribuição de combustíveis

Depois da Cosan, mais um grande grupo sucroalcooleiro prepara sua entrada na distribuição de combustíveis. A Crystalsev, leia-se um pool de 17 usinas de álcool e açúcar de São Paulo, planeja montar uma rede própria de postos.

O projeto prevê, em um primeiro momento, a abertura de aproximadamente 40 pontos-de-venda em algumas cidades-chave do interior do estado, a começar por Ribeirão Preto.

O investimento previsto é da ordem de R$ 40 milhões e deverá ser bancado com recursos próprios. A Crystalsev pretende também arregimentar postos de bandeira branca e, desta forma, estender a operação para outros estados do Sudeste.

Ainda que de maneira incipiente, o projeto da Crystalsev é uma resposta direta à Cosan. O objetivo é evitar que a empresa construa uma posição de supremacia na distribuição de etanol no mercado interno. Com o seu volume de produção de álcool e os postos da rede Esso, a Cosan poderá adquirir um poder na formação de preços só superado pela Petrobras.

Em que pese o modesto número de postos previsto para o início das operações, não se deve desprezar o poder de crescimento da Crystalsev na área de distribuição. Por trás da empresa, estão algumas das maiores indústrias sucroalcooleiras do país, como a Santelisa Vale e a Companhia Nacional de Álcool e Açúcar (CNAA), uma joint-venture entre a própria Santelisa, fundos de investimento internacionais e a Global Foods, companhia de origem holandesa.

Além da comercialização de etanol, a Crystalsev pretende se valer da sua rede própria de distribuição para alavancar a venda de sua produção futura de biodiesel. A companhia se prepara para iniciar a fabricação do combustível a partir de resíduos da própria cana-de-açúcar, provavelmente em parceria com a norte-americana Amyris.

X