Crise vai provocar revisão de investimentos em biocombustível

O presidente da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), Marcos Jank, disse hoje (17) que os investimentos para produção de biocombustível será revisto. “Nossa previsão de investimentos de US$ 30 bilhões entre 2009 e 2012 será revista”, afirmou na Conferência Internacional Sobre Biocombustíveis.

Segundo Jank, a crise financeira internacional é o fator que mais impulsionou a revisão do volume de dinheiro destinado aos investimentos.

“Já sentimos um pouco da escassez do crédito. É até possível que o valor estimado não seja reduzido, dependendo dos próximos movimentos da economia, como a posse do presidente [eleito dos Estados Unidos] Barack Obama”, disse Jank.

De acordo com Jank, o maior desafio do setor é exportar cerca de 30% [do que produz] e formar um estoque de álcool para cerca de seis meses para o país. “Outra coisa que não pode acontecer é vender o álcool a qualquer preço por causa da queda do [preço do] petróleo”, disse.

Jank disse que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está injetando recursos no setor e que espera melhoras no cenário econômico. “Esperamos que as medidas anunciadas já produzam efeitos logo”, afirmou.

Ele destacou ainda a importância do evento para discutir questões relativas ao biocombustível. “Este encontro serve também para esclarecer que os biocombustíveis não foram responsáveis pela alta dos alimentos. Nos últimos anos nossa produção aumentou, assim como os grãos, o algodão, o leite e a carne. Os produtos alimentícios e os biocombustíveis podem conviver juntos, perfeitamente”, garantiu.

X