Crise afetará investimentos em biocombustíveis, diz setor

O presidente da União da Agroindústria Canavieira de São Paulo (Unica), Marcos Jank, disse nesta segunda-feira que os investimentos para produção de biocombustível serão revistos. “Nossa previsão de investimentos de US$ 30 bilhões entre 2009 e 2012 será revista”, afirmou na Conferência Internacional Sobre Biocombustíveis.Segundo Jank, a crise financeira internacional é o fator que mais deve pesar sobre a revisão do volume a ser destinado aos investimentos.”Já sentimos um pouco da escassez do crédito. É até possível que o valor estimado não seja reduzido, dependendo dos próximos movimentos da economia e os efeitos, por exemplo, da posse do presidente (eleito dos Estados Unidos) Barack Obama”, disse Jank.De acordo com Jank, o maior desafio do setor é exportar cerca de 30% (do que produz) e formar um estoque de álcool para cerca de seis meses para o país. “Outra coisa que não pode acontecer é vender o álcool a qualquer preço por causa da queda do (preço do) petróleo”, disse.Jank disse que o Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) está injetando recursos no setor e que espera melhoras no cenário econômico. “Esperamos que as medidas anunciadas já produzam efeitos logo”, afirmou.Ele aproveitou ainda para negar que os biocombustíveis tenham provocado a alta dos preços dos alimentos. “Os biocombustíveis não foram responsáveis pela alta dos alimentos. Nos últimos anos nossa produção aumentou, assim como os grãos, o algodão, o leite e a carne. Os produtos alimentícios e os biocombustíveis podem conviver juntos, perfeitamente”, garantiu.

X