Credores aprovam plano de recuperação da Usina

Cem por cento dos trabalhadores do grupo mato-grossense Destilaria de Álcool Libra aprovaram em assembleia o plano de recuperação judicial da empresa. A usina sucroalcooleira é a primeira do país a obter a aprovação da assembleia geral de credores. A assembleia aconteceu no salão paroquial da igreja matriz de São José do Rio Claro (norte do Estado) e movimentou a cidade por algumas horas.

A assembleia de credores reuniu mais de 1.076 pessoas entre funcionários, fornecedores e bancos interessados na recuperação da Libra. salão paroquial da igreja matriz de Rio Claro.

A empresa deve R$ 2,62 milhões a 927 funcionários, R$ 85,18 milhões de nove credores possuidores de garantias reais e R$ 161,8 milhões de 140 credores chamados quirografários (sem garantias).

Com total de dívidas de R$ 280 milhões, a empresa conseguiu carência de 30 meses ! e até 20 anos para quitar seu passivo financeiro e descontos de até 70% em débitos para pagamento à vista.

Durante a assembleia ficou definido que a Libra cederia a credores duas fazendas, além de um terreno urbano em Cuiabá para amortização do passivo. Três credores, responsáveis por R$ 45 milhões dessas dívidas, rejeitaram o plano de recuperação.

“Alguns credores estavam brigando há dez anos na Justiça”, aponta o advogado Euclides Ribeiro Jr.

Com capacidade de processar 1 milhão de toneladas anuais de cana-de-açúcar e produzir 80 milhões de litros de etanol, a Libra emprega 2 mil funcionários. Situada a 300 quilômetros da capital, a indústria é responsável por 60% da arrecadação municipal de tributos da cidade. É dirigida pelo presidente do Sindicato das Indústrias sucroalcooleiras de Mato Grosso (Sindalcool), Piero Parini.

X