Cosan vende operações da marca Da Barra

O grupo de açúcar e álcool Cosan acertou ontem a venda, por R$ 25 milhões, de quatro linhas de produtos da marca Da Barra para a Coroa Participações. Com o acordo, a Cosan deixará de ter produção de achocolatados, misturas para bolos, gelatinas e refrescos em pó com a marca Da Barra e ficará apenas com a marca para o açúcar e outros produtos que venha a desenvolver no futuro. O contrato envolve também o licenciamento do uso da marca, que continuará a pertencer à Cosan.

A Coroa Participações é uma empresa da holding Savon, da qual também fazem parte a CBA, conhecida no segmento de distribuição de cestas de alimentos, e a empresa de vale-refeição Bonus. A Cosan, por sua vez, detém atualmente cerca de 40% do mercado brasileiro de açúcar refinado.

Fora do foco. Segundo Colin Butterfield, presidente da Cosan Alimentos, os produtos dos quais a empresa se desfez não faziam parte do foco de negócios. “Mas isso não quer dizer que não avaliamos o desenvolvimento de outros produtos com a marca Da Barra”, diz. O executivo preferiu não detalhar os números, mas garantiu que em todos os produtos que agora são da Coroa as vendas eram relevantes. “Eram produtos rentáveis.”

Além do açúcar Da Barra, a Cosan também é dona da marca União, que neste ano deverá ser o principal foco da área de alimentos, diz Butterfield. “Vamos fortalecer a marca União e expandir para produtos estratégicos”, diz. Isso, de acordo com o executivo, sem deixar de lado a marca Da Barra, que também deve ir para a prancheta das equipes de desenvolvimento de novos produtos e ver a família aumentar novamente.

Cosan e Savon já tinham um relacionamento comercial. O achocolatado Da Barra era feito pela empresa que, por sua vez, compra açúcar da Cosan. Como a relação era antiga e envolvia um valor baixo – se comparado a outros grandes negócios com a participação da Cosan -, a negociação foi relativamente rápida. Durou cerca de 45 dias. Ja fazia parte do portifólio da Savon a produção de achocolatados, laticínios e misturas para bolos.

A primeira compra de particiação da Cosan na Da Barra aconteceu em 2003. Em 2005, Rubens Ometto, controlador da Cosan, passou a deter 95% do capital do grupo Da Barra. (Paula Pacheco)

X