Cosan negocia participação em multinacional

Maior grupo sucroalcooleiro individual do Brasil, com faturamento de US$ 420 milhões, a Cosan está negociando participação acionária na Béghin-Say, empresa francesa controlada pelo grupo italiano Edison SpA. A companhia francesa, terceira maior produtora de açúcar do mundo, deve ser adquirida nos próximos dias pela Union SDA, parceira da Cosan em três usinas de açúcar e álcool no Brasil.

“Estamos negociando junto com a Sucden uma participação de 3% na multinacional”, diz Rubens Ometto de Silveira Mello, presidente da companhia brasileira. Os valores envolvendo a aquisição acionária foram estimados em 25 milhões de euros pelo executivo. É o primeiro passo da companhia brasileira pela disputa acirrada no mercado mundial.

Ao adquirir participação na multinacional, a Cosan vai estar fazendo parte de uma das maiores companhias açucareiras do mundo. No Brasil, a Béghin-Say comprou por 90 milhões de euros, em 2001, a Açucareira Guarani, com duas usinas de açúcar e álcool, a Guarani e Cruz Alta, consideradas entre as mais eficientes do País. A Guarani é detentora da marca Guarani, com forte participação no varejo. A empresa também produz açúcar refinado.

Com uma produção de cerca de 18 milhões de toneladas de cana-de-açúcar, o Grupo Cosan está entre as maiores companhias do mundo. O grupo controla as usinas Costa Pinto, Santa Helena, São Francisco, Diamante, Da Serra, Rafard e, por meio de uma joint venture feita em 2000 com a Union SDA e Sucden, com a criação da Franco-Brasileira de Açúcar e Álcool S/A, administram as companhias Ipassu, Univalem e Gasa. Além desse negócios, a Cosan possui um terminal de granéis em Santos (SP).

X