Cosan desiste de emissão de bônus

cosan_1A Cosan, empresa de energia e logística, desistiu de seus planos de fazer uma emissão de bônus, dizem duas fontes a par do assunto. A empresa concluiu ontem uma rodada de apresentações a investidores para sondar o apetite pelos papéis. Porém, a instabilidade no mercado levou a companhia a rever os planos. Apesar de o governo ter anunciado uma equipe econômica do agrado dos investidores, ainda há um certo receio a papéis do Brasil, diz um gestor de recursos. Segundo essa fonte, o sentimento ruim é agravado pelo escândalo de corrupção envolvendo a Petrobras e as construtoras. “Os grandes nomes conseguem emitir, mas vão ter de pagar mais caro e não sei se vão querer”, afirma esse interlocutor.  “Será muito difícil ver alguma oferta pública de bônus até o fim do ano”, afirma um executivo de banco que atua na área. “Há muito ruído no mercado”, diz.

Essa fonte explica que além de os investidores estarem mais reticentes com os títulos brasileiros, há pouco incentivo a mudar a posição das aplicações no fim do ano, já que os portfólios de bônus da América Latina acumulam bons retornos até o momento. “O investidor tem pouco
incentivo a tomar risco agora. “Outro executivo do ramo afirma que o mercado está na fase de avaliar a nova política econômica do
governo brasileiro. “Tudo vai depender da expectativa para o crescimento”, afirma ele. Até o fim do ano, a atividade do mercado de bônus deve ser fraca, em sua opinião. “Não devemos ver nada muito relevante”, diz. A nova emissão da Cosan era destinada a levantar recursos para recomprar bônus perpétuos antigos, cujo cupom é de 8,25% ao ano.

Com o cancelamento da oferta, a aquisição desses títulos também foi suspensa. “A empresa não precisa dos recursos. A ideia era trocar as dívidas”, diz fonte a par do assunto. “As condições e os termos não foram satisfatórios.” Procurada pelo Valor, a Cosan não se manifestou
até o fechamento desta edição.

(Fonte: Valor Econômico)

X