Coopercitrus busca ampliação no setor sucroenergético

A Cooperativa de Produtores Rurais do Estado de São Paulo (Coopercitrus) tem 27 mil cooperados em São Paulo e em Minas Gerais (em 64 unidades) e busca ampliar a sua atuação, principalmente pelo otimismo com o setor sucroenergético. “O pior já passou e vemos os produtores de cana investindo e acreditamos no setor”, afirma o diretor financeiro da Coopercitrus, Fernando Degobbi. Da carteira de cooperados, 35% são do setor sucroenergético, responsáveis pelo plantio de cerca de 3 milhões de hectares de cana, ou 30% da cana plantada no País.

A cana é a principal cultura da cooperativa (que começou com café e citros), que também inclui usinas. “Nossa estratégia é diversificar e ampliar o quadro, atraindo médios e pequenos produtores, que dão sustentabilidade ao processo, para que possamos proporcionar a eles o acesso às tecnologias que não conseguiriam sozinhos”, emenda Degobbi.

O otimismo da cooperativa também está na produtividade da atual safra de cana-de-açúcar. “A ATR está acima de anos anteriores, o setor está equilibrado e tem a queda de juros, que favorece o produtor”, acrescenta Degobbi. A Coopercitrus investe em serviços, produtos e parcerias com usinas que têm o fornecedor de cana como foco de matéria-prima, além da Feira de Agronegócios Coopercitrus (Feacoop), realizada em Bebedouro, oferecendo tecnologia de ponta, maquinários, implementos e insumos.

X