Construtoras e usinas lideram entre doadores

Nomes como o grupo sucroalcooleiro Cosan, a construtora Camargo Corrêa, Bovespa, Cutrale e cooperativas de produtores de cana surgem entre os doadores dos maiores valores individuais destinados aos eleitos.

A Camargo Corrêa, por exemplo, deu para os candidatos Edinho Silva e Newton Lima, ambos do PT, R$ 100 mil para cada. Ao deputado federal Dimas Ramalho (PPS), ex-secretário de Serviços de São Paulo, a construtora destinou R$ 250 mil.

A Caramurú Construções, de Araraquara, doou mais R$ 330 mil a Dimas. A Cosan dividiu R$ 200 mil entre Duarte Nogueira (PSDB) e Baleia Rossi (PMDB). Nogueira disse que seus doadores nunca demonstraram “interesse” em influenciar suas decisões. “São empresas do setor agroindustrial, que eu atuo.”

Em nota, a Camargo Corrêa informou que as doações “são realizadas em respeito à legislação”. A assessoria da Cosan nã o respondeu e a Caramurú não ligou de volta.

X