Congresso sugere que governo preste contas sobre oferta de energia

O relatório final da comissão mista do Congresso que estudou as causas do racionamento de energia defende que o governo, a partir de agora, preste contas anualmente aos parlamentares do programa de expansão de oferta de energia e a situação dos reservatórios das usinas hidrelétricas no país. O relatório é do senador Paulo Souto (PFL-BA) e deve ser votado no próximo dia 22. O texto não será aproveitado para nenhuma resolução legal do Congresso, mas servirá de recomendação ao governo federal. Outra decisão que precisa ser tomada pelo governo, segundo o senador, é se as privatizações das empresas estatais vão continuar. Caso o governo decida não vender as empresas, Paulo Souto recomenda que elas tenham uma outra condição jurídica para se tornarem mais ágeis e conseguir investimentos para construir novas usinas. O relatório diz que escassez de chuvas em 2000 e no ano passado e a falta de investimentos do governo na expansão da geração de energia foram alguns dos motivos para que acontecesse a crise de energia. Para Paulo Souto, vários órgãos do governo minimizaram a importância do risco de déficit de energia. Além disto, ele destaca que houve desencontro entre o Ministério de Minas e Energia e o Operador Nacional do Sistema Elétrico (ONS).(O Globo)

X