Concelho aguarda Central de Biomassa

Vila Verde reclama pela instalação na parte Norte do concelho de uma Central de Biomassa, com vista ao aproveitamento da sua malha florestal e rumo à sustentabilidade energética de mais de 40 mil pessoas.

Este projecto – cujo investimento rondaria os 25 milhões de euros – foi, ontem, defendido por José Campelo, da Associação Florestal do Cávado (AFC), durante o seminário ‘A Floresta na Promoção e Desenvolvimento do Mundo Rural’, promovida na ‘Festa das Colheitas’, que decorre até ao próximo domingo em Vila Verde.

José Campelo sublinhou, mesmo, que “a floresta é uma mais-valia do mundo rural que deve ser mais qualificado e ordenado”.

Refira-se que uma das três Zonas de Intervenção Florestal da AFC é precisamente na área concelhia vilaverdense, sita em Valdreu. José Campelo deseja estas zonas como ‘multiusos’, pretendendo potenciar a produção de ervas aromáticas, cogumelos, incrementando, por outro lado, a silvopastorícia.

Carlos Guerra, director regional adjunto da Agricultura e das Pescas do Norte, salientou, na sua intervenção, uma das questões mais prementes neste momento, que tem que ver com ordenamento do território.

“No mundo rural trabalha-se, muitas vezes, sem qualquer ordenamento ou planeamento e vão-se aproveitando, apenas, os quadros comunitários – que só para a região Norte do país já chegaram sete mil milhões de euros desde 1996 – mas cujos projectos não têm enquadramento nas especificidades regionais e nem se sabem os resultados dos mesmos”, disse o responsável. “Neste momento o grande desafio é o planeamento florestal”.

X