Conab prevê safra de cana em 440 milhões de toneladas.

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) anunciou ontem que a produção brasileira de cana-de-açúcar deverá ser de 440 milhões de toneladas, das quais 397,1 milhões de toneladas serão destinadas para a produção de açúcar e álcool. Esta é a segunda estimativa feita pela Conab para a safra de cana do país.

A primeira estimativa, divulgada no final de junho, projetada uma produção de 450,2 milhões de toneladas. Segundo Eledon de Oliveira, diretor da Conab, a segunda estimativa está 2,3% menor que a primeira por conta do clima seco. Segundo ele, as adversidades climáticas prejudicaram a produção de cana no país, principalmente nas regiões Norte e Nordeste.

A Conab prevê que a produção de açúcar deverá consumir 219,2 milhões de toneladas de cana, para uma oferta de 27,2 milhões de toneladas de açúcar. Para álcool, um total de 177,9 milhões de toneladas deverá ser processado pelas usinas para uma oferta de 17 bilhões de litros.

Os dados da Conab mostram que 42,9 milhões de toneladas de cana deverão ser destinadas às indústrias para fábricação de cachaça, ração animal e sementes, informou Eledon Oliveira, diretor da Conab.

A área total plantada com cana no país será de 5,9 milhões de hectares.

O Centro-Sul responderá por 85,3% da produção totla do país e, o Nordeste, por 14,7%. O Estado de São Paulo responde por 59,7%, ou 262,9 milhões de toneladas de cana, com uma área de 3,1 milhões de hectares.

Eledon Oliveira disse que 76 técnicos da Conab visitaram 370 usinas de açúcar e álcool e 60 associações de produtores.

A terceira e última estimativa para a safra 2005/06 vai ser anunciada no dia 5 de janeiro. O levantamento será feito no final de dezembro.

X