Companhia define metas para o mercado do açúcar

A Biocom, primeira empresa do país a produzir e a comercializar açúcar, etanol e energia eléctrica a partir da biomassa, anunciou ontem prever uma produção de 47 mil toneladas açúcar até outubro, etapa final da campanha agrícola 2015/16.

Em comunicado citado pela Angop, a companhia declarou que no quadro da campanha agrícola em curso, a produção da empresa, localizada em Cacuso, deve atingir também 16 mil metros cúbicos de etanol, o que vai gerar 155 mil megawatts de energia.

A Biocom refere que, no ano em curso, obteve resultados parciais de 8.947 toneladas de açúcar, 2.186 metros cúbicos de etanol e 8.600 megawatts de energia eléctrica.

Para atingir as metas previstas em 2016, a empresa conta com mais de dois mil trabalhadores, divididos em turnos que funcionam 24 horas por dia, avançou a Biocom no comunicado.

Em 2015, a companhia registou um crescimento, ao produzir 24.770 toneladas de açúcar, 10.243 metros cúbicos de etanol e 42 mil megawatts de energia eléctrica. A produção da Biocom tem como principal destinatário os pequenos, médios e grandes grossistas do país. O director-adjunto da empresa, Luís Júnior, anunciou no começo das colheitas, em Junho, que depois do investimento inicial absorver 750 milhões de dólares (125 mil milhões de kwanzas), espera que, na segunda fase de implantação do projecto, sejam empregues 550 milhões (cerca de 92 mil milhões de kwanzas) adicionais.

Nessa nova etapa, que começa entre 2020 e 2021, a Biocom prevê elevar a produção para quatro milhões de toneladas de cana-de-açúcar, 523 mil toneladas de açúcar e o dobro da produção de energia.
Mais de 50 mil clientes compram açúcar à Biocom, afirmou naquela o director-adjunto, que lamentou a especulação em torno dos preços competitivos da companhia, com os fornecedores a tenderem para duplicar o preço de venda.

Fonte: (Jornal de Angola)

X