Como será a safra 2018/19 no Mato Grosso do Sul

A safra 2018/19 deve começar no início de março. Para saber como será o andamento produtivo entrevistamos o presidente da da Associação dos Produtores de Bioenergia do Mato Grosso do Sul (Biosul), Roberto Hollanda Filho. Confira:

JornalCana – Quanto o Estado do MS deve esmagar na safra vigente com o levantamento feito até agora?

Roberto Hollanda Filho – Processamos até a segunda quinzena de janeiro, 44 milhões de toneladas, 5,8% a menos do que o mesmo momento da safra passada. Nossa estimativa no início da safra é chegar a 51 milhões de toneladas, um crescimento de cerca de 2% com relação à safra anterior.

E qual será a produção de açúcar e etanol?

O açúcar, com 1,46 milhão de toneladas produzidas, sofre um impacto devido às geadas que ocorreram em julho e agosto, a produção é 12,9% menor que a do ano passado, por enquanto, do etanol com 2,47 bilhão de litros, seguimos com praticamente o mesmo volume que tínhamos na safra anterior, 2,3% a menos.

Os índices de produtividade cana, como ficarão?

O ATR/TC médio de 130,4 é meio ponto percentual superior, também afetado por chuvas em excesso em abril e maio e pelas geadas. O mix de produção fortemente voltado ao etanol, 73,4%, outra característica marcante do MS. Ao final da safra compilaremos os dados de bioeletricidade entregues ao Sistema Integrado Nacional, com expectativa de superarmos os 2.800 GWh.

X