Como reduzir riscos da pirataria

Existem várias maneiras de adulteração de combustíveis e alguns podem até ser inofensivas. Alguns postos simplesmente misturam gasolina comum com aditivada ou colocam na gasolina uma porcentagem de álcool um pouco maior que a permitida pela Agência Nacional do Petróleo (ANP). Nesses casos, não haver danos ao veículo, mas o consumidor pagará mais por um produto de qualidade inferior. As companhias também consideram adulterada a gasolina misturada com a comprada por outro fornecedor, mesmo que a mistura não contenha substâncias nocivas ao veículo. Outras adulterações podem até provocar danos se o combustível ‘‘batizado’ for usado continuamente. É o caso da colocação de água, solvente e outras substâncias. Para piorar a situação, proliferam nos últimos anos postos que deixaram de atender a uma determinada bandeira, mas mantém suas cores e padrões. Esses postos acabam enganando até mesmo aos mais atentos observadores e nem sempre vendem combustível de qualidade. (Gazeta de Alagoas)

X