CNH concentra produção de máquinas para cana no Brasil

A Case New Holland, uma das maiores fabricantes mundiais de máquinas agrícolas, anunciou, ontem, que irá concentrar toda a produção de máquinas agrícolas para cana-de-açúcar em sua unidade de Piracicaba (interior de São Paulo). Segundo Valentino Rizzioli, presidente da CNH Latino Americana, o país é a principal referência mundial de açúcar no mundo.

A unidade de Piracicaba – que já produz colheitadeiras para cana e café e equipamentos de transbordo para cana – vai receber investimentos de R$ 20 milhões nos próximos 12 meses. Esses recursos serão aplicados na ampliação da fábrica e na transferência de tecnologia. A fábrica de máquinas agrícolas da Austrália, que também produzia equipamentos para cana, será desativada. O Brasil, disse Rizzioli, será o centro de exportação desse tipo de máquina para o resto do mundo. Entre os principais clientes, estão os países do Cone Sul, África do Sul e Oriente Médio, além dos Estados Unidos.

Hoje a unidade brasileira produz 100 máquinas para cana por ano. “Vamos triplicar a produção a partir deste ano, já que 70% da produção será destinada ao mercado externo”, afirmou o executivo, que fez o anúnciou oficial, ontem, em solenidade no Palácio dos Bandeirantes.

“Serão criados 100 empregos diretos e outros 200 indiretos”, acrescentou Rizzioli. Segundo ele, o Brasil tem um potencial de crescimento para área de mecanização em cana – hoje em 20% dos canaviais. A Austrália, por exemplo, utiliza mecanização em 90% da área.

No Brasil, o faturamento da CNH deverá atingir R$ 2,7 bilhões este ano, sobre os R$ 2,2 bilhões fechados no ano passado. O faturamento global da empresa é de US$ 10 bilhões. A CNH concentra na unidade de Curitiba – a maior da empresa – a produção de tratores e colheitadeiras para grãos. Em Belo Horizonte, está toda a produção de máquinas para o setor da construção civil.

CNH concentra produção de máquinas para cana no Brasil

A Case New Holland, uma das maiores fabricantes mundiais de máquinas agrícolas, anunciou, ontem, que irá concentrar toda a produção de máquinas agrícolas para cana-de-açúcar em sua unidade de Piracicaba (interior de São Paulo). Segundo Valentino Rizzioli, presidente da CNH Latino Americana, o país é a principal referência mundial de açúcar no mundo.

A unidade de Piracicaba – que já produz colheitadeiras para cana e café e equipamentos de transbordo para cana – vai receber investimentos de R$ 20 milhões nos próximos 12 meses. Esses recursos serão aplicados na ampliação da fábrica e na transferência de tecnologia. A fábrica de máquinas agrícolas da Austrália, que também produzia equipamentos para cana, será desativada. O Brasil, disse Rizzioli, será o centro de exportação desse tipo de máquina para o resto do mundo. Entre os principais clientes, estão os países do Cone Sul, África do Sul e Oriente Médio, além dos Estados Unidos.

Hoje a unidade brasileira produz 100 máquinas para cana por ano. “Vamos triplicar a produção a partir deste ano, já que 70% da produção será destinada ao mercado externo”, afirmou o executivo, que fez o anúnciou oficial, ontem, em solenidade no Palácio dos Bandeirantes.

“Serão criados 100 empregos diretos e outros 200 indiretos”, acrescentou Rizzioli. Segundo ele, o Brasil tem um potencial de crescimento para área de mecanização em cana – hoje em 20% dos canaviais. A Austrália, por exemplo, utiliza mecanização em 90% da área.

No Brasil, o faturamento da CNH deverá atingir R$ 2,7 bilhões este ano, sobre os R$ 2,2 bilhões fechados no ano passado. O faturamento global da empresa é de US$ 10 bilhões. A CNH concentra na unidade de Curitiba – a maior da empresa – a produção de tratores e colheitadeiras para grãos. Em Belo Horizonte, está toda a produção de máquinas para o setor da construção civil.

X