CMAA pretende iniciar operações da Usina Canápolis em 2020

A Companhia Mineira de Açúcar e Álcool (CMAA) pretende iniciar as operações de produção da Usina Canápolis em 2020.

A CMAA, que pertence ao Grupo JF Citrus e à companhia da Indonésia IndoAgri, controla a unidade de cana-de-açúcar desde dezembro passado, quando adquiriu a usina em leilão por R$ 133,8 milhões. A usina pertencia à Massa Falida da Laginha Agro Industrial, do grupo familiar do ex-deputado federal João Lyra.

O nome da Usina Canápolis homenageia a cidade onde a unidade está instalada, no estado de Minas Gerais.

A CMAA pretende iniciar as operações da Usina Canápolis em 2020 e neste ano o planejamento é iniciar o plantio da cana-de-açúcar a ser processada pela unidade. Ao arrematar a unidade no leilão, a CMAA também adquiriu área de 5,6 mil hectares.

A capacidade instalada é de 1,850 milhão de toneladas.

Até 2020, a CMAA também fará as adequações industriais da Usina Canápolis.

Os investimentos na Usina Canápolis deverão criar 5 mil empregos diretos e indiretos.

Em entrevista para a publicação Canavial da Siamig, entidade representativa da indústria sucroenergética de Minas Gerais, Carlos Eduardo Turchetto Santos, presidente da CMAA, foi enfático: “a reativação dessa usina trará grandes benefícios tanto para o município, quanto para as pessoas que vivem em Canápolis e região, como uma maior movimentação na economia local, desenvolvimento da cidade e geração de empregos diretos e indiretos.”

 

 

 

X