Chuvas mudam produtividade no Centro/Sul, apontam especialistas

img7222

O início de junho tem sido chuvoso na região Centro-Sul do país. Algumas regiões paralisaram a colheita de cana-de-açúcar por mais de dez dias e as previsões, segundo a Somar Metereologia, são de novas precipitações.

“Devido a essas chuvas, os volumes totais de área colhida ao longo de todo este mês de junho deverão sofrer um bom declínio quando comparado ao ritmo que vinha sendo registrado até o final de maio”, afirmou o agrometeorologista da Somar, Marco Antônio dos Santos.

As condições climáticas implicam também em mudanças nos preços internacionais. O açúcar da bolsa de Nova York operou acima de 17 centavos de dólar por libra-peso nesta segunda-feira, 24, pela segunda vez em mais de um mês.

Já os preços internos do etanol têm registrado alta nas últimas semanas. Enquanto a chuva diminui a produção, grandes comerciantes e produtores de biocombustível também têm comprado o produto na região Centro-Sul para comercializá-lo com o Norte e Nordeste, locais onde a seca afetou a produção e deixou o mercado com oferta reduzida.

A Somar prevê precipitações de até 130 milímetros em Mato Grosso do Sul e Paraná e 40 milímetros em São Paulo. Embora a umidade ajude a cana recém-plantada, a empresa acredita que o fornecimento de açúcar e etanol deve ser afetado. “Dessa forma, o crescimento nos índices de produtividade de ATR que vinha sendo registrado quinzena após quinzena deverá sofrer uma estagnação nesse mês de junho”.

img7221

X