CHUVA NOVAMENTE ATRAPALHA MOAGEM DE CANA

A exemplo do que ocorreu no início da atual safra de cana-de-açúcar, a incidência de chuvas na região Centro-Sul, que concentra quase 90% da produção brasileira, levou a um baixo aproveitamento de moagem pelas unidades produtoras. Devido às condições meteorológicas, o aproveitamento do tempo disponível para moagem entre 01 e 15 de outubro ficou em 72,7%, contra mais de 85% de aproveitamento na quinzena anterior (15 a 30 de setembro). A queda equivale a uma perda de dois dias de moagem.

A quantidade de cana processada no Centro-Sul na primeira quinzena de outubro foi de 28,76 milhões de toneladas, 3% inferior ao total da mesma quinzena na safra anterior. No estado de São Paulo, principal produtor do país, a moagem da quinzena ficou 7,52% inferior à do mesmo período na safra anterior, e 14,34% abaixo do total registrado na segunda quinzena de setembro.

A quantidade de açúcares obtidos por tonelada de cana esmagada também caiu 6,2% se comparada com a mesma quinzena da safra 2007/08, ficando em 153,02 quilos contra 163,15 quilos um ano atrás. No acumulado desde o início da safra 2008/09, o total de cana moída na região Centro-Sul atingiu 378,8 milhões de toneladas, 7,4% acima do total para o mesmo período na safra anterior. Já o volume de produtos obtidos por tonelada de cana continuou inferior ao registrado na safra anterior, chegando a 2,16% no período.

As reduções no total de cana moída e na quantidade de produtos obtidos em relação à mesma quinzena na safra passada influenciaram principalmente a produção de açúcar, que foi inferior em 24,21% à registrada no mesmo período da safra 2007/08. No acumulado desde o início da safra, a produção de açúcar este ano está 6,03% ou 1,3 milhão de toneladas inferior à do mesmo período no ano passado, indicando que a produção de açúcar na safra 2008/09 será inferior ao total produzido na safra anterior, quando o total chegou a 26,2 milhões de toneladas.

Na quinzena de 01 a 15 de outubro, 38,79% da cana processada no Centro-Sul foi destinada à produção de açúcar. Desde o início da safra 2008/09, 40,61% da cana moída foi direcionada para açúcar e 59,39% para etanol, números que mais uma vez confirmam as projeções iniciais de que a safra deste ano seria voltada prioritariamente para a produção de etanol. Até 15 de outubro, a produção do etanol anidro atingiu 6,2 bilhões de litros enquanto a de etanol hidratado totalizou 12,28 bilhões de litros. A produção total de etanol está 14,53% acima do total atingido até 15 de outubro na safra passada.

As condições climáticas observadas na segunda quinzena de outubro têm sido mais favoráveis, apontando para a possibilidade de uma recuperação nas perdas ocorridas na primeira quinzena do mês devido às chuvas.

NOVAS UNIDADES PRODUTORAS

A moagem de cana nas unidades que iniciaram operações durante a atual safra respondeu, até 15 de outubro, por apenas 2,43% do total de cana processada no periodo. Cinco novas unidades iniciaram a moagem na primeira quinzena de outubro, elevando o total de novas unidades iniciando atividades na atual safra para 25. Outras quatro unidades mantêm sua programação de início de atividades durante a atual safra, enquanto três unidades efetivamente postergaram o início para a safra 2009/10. São elas:

-Camem (Grupo Camargo & Mendonça) – Morrinhos, Goiás

-Paranaíba (Arauna Agroindustrial) – Paranaíba, Mato Grosso do Sul

-Bonin (Grupo Bonin) – Umuarama, Paraná

MERCADO INTERNO

O mercado interno de etanol continua aquecido, com uma média de vendas pelas unidades produtoras da região Centro-Sul de 1,7 bilhão de litros mensais, sendo 0,5 bilhão de etanol anidro e 1,2 bilhão de hidratado. Do início da atual safra até 15 de outubro, as unidades produtoras embarcaram para o mercado externo 3,16 bilhões de litros, sendo 50% de anidro e 50% de hidratado. Os maiores volumes destinados à exportação foram registrados em julho e agosto, quando 650 milhões de litros/mês foram embarcados. Em outubro, a projeção é de que os embarques cheguem a cerca de 400 milhões de litros. Do total exportado nesta safra até 30 de setembro, 1,27 bilhão de litros seguiram diretamente para os Estados Unidos, enquanto 1,09 bilhão de litros foram exportados para a região do Caribe.

Nas últimas duas semanas, o preço do etanol hidratado registrou queda acumulada de 7% no produtor, em função de maior oferta do produto proporcionada pela falta de liquidez. Atualmente, o mercado interno de etanol e de açúcar responde por mais de 62% da receita das empresas do setor na região Centro-Sul, enquanto as exportações respondem por 38%.

X