Centro-Sul avança na moagem, mas safra têm atraso de 14,78 milhões de toneladas

Want create site? Find Free WordPress Themes and plugins.

As unidades produtoras de cana-de-açúcar da região Centro-Sul moeram 50,74 milhões de toneladas na segunda quinzena de julho. O montante supera as 49,43 milhões de toneladas processadas no mesmo período de 2016 e as 49,67 milhões moídas na segunda quinzena de julho de 2015.

Apesar da expansão de moagem, desde o início da safra 2017/2018 até 1º de agosto, a
moagem segue atrasada em 14,78 milhões de toneladas.

A avaliação é da União da Indústria de Cana-de-Açúcar (Unica), que divulgou balanço quinzenal da safra.

Confira mais informações do balanço:

  • Até o momento, a safra no Centro-Sul somou 297,33 milhões de toneladas, contra 312,10 milhões de toneladas registradas até igual data do ciclo 2016/2017.
  • Em relação a produtividade agrícola, no acumulado de abril a julho a retração no
    rendimento do canavial na região Centro-Sul do Brasil atingiu 2,91%, segundo pesquisa
    do Centro de Tecnologia Canavieira (CTC).
  • Nesse período, a produtividade agrícola na
    região totalizou 82,44 toneladas por hectare, contra 84,91 toneladas por hectare no ciclo
    anterior.
  • Especificamente no último mês de julho, a produtividade agrícola alcançou 83,11
    toneladas por hectare, queda de 0,54% quando comparado ao índice observado no
    mesmo mês de 2016 – 83,56 toneladas por hectare.
  • A condição climática caracterizada pelo clima seco observado há quase dois meses nas
    principais regiões produtoras do Centro-Sul favoreceu a operacionalização da colheita
    nas últimas quinzenas, mas deve acentuar a queda de produtividade agrícola da área que
    será colhida nos próximos meses de safra.
  • No início da safra as condições climáticas e os índices registrados no campo indicavam
    uma recuperação da produtividade, mesmo com um canavial mais envelhecido. Essa
    percepção tem sido drasticamente alterada após esse período prolongado sem chuva.
    Importantes regiões canavieiras já manifestam preocupação quanto ao potencial impacto
    desse cenário sobre o resultado da safra 2017/2018.
  • O monitoramento da resposta da lavoura a condição climática observada será
    fundamental para verificar uma eventual necessidade de revisão dos valores inicialmente
    estimados para essa safra, especialmente no que se refere à disponibilidade de matériaprima
    para moagem.
  • A produção de açúcar nos últimos 15 dias de julho totalizou 3,41 milhões de toneladas, alta
    de 9,54% sobre a mesma quinzena de 2016. No acumulado da atual safra até 1º de agosto,
    esse aumento é menor: 3,48%, com 17,57 milhões de toneladas fabricadas ante 16,97
    milhões de toneladas no ciclo passado.
  • O volume produzido de etanol alcançou 2,08 bilhões de litros na segunda quinzena de
    julho, igual àquele observado no mesmo período do ano anterior. Deste volume, 934,75
    milhões de litros referem-se ao etanol anidro – superior aos 915,04 milhões de litros
    computados na mesma quinzena de 2016.
  • Já a produção de etanol hidratado caiu: 1,14 bilhão de litros fabricados nos 15 dias finais de julho da safra atual, frente a 1,16 bilhão de litros do último ano.
  • Desde o início da safra 2017/2018 até 1º. de agosto, a fabricação de etanol somou 11,57
    bilhões de litros, com 6,58 bilhões de litros de etanol hidratado e 5,00 bilhões de litros, de
    etanol anidro
  • O mencionado clima seco no Centro-Sul favoreceu a concentração de Açúcares Totais
    Recuperáveis (ATR) na cana, que totalizou 140,29 kg por tonelada na última quinzena do
    mês – crescimento de 3,82% sobre o valor calculado para a quinzena anterior. No
    acumulado da safra 2017/2018, o indicador alcançou 128,02 kg de ATR por tonelada – leve
    incremento sobre os 127,26 kg verificados no mesmo período do ciclo passado.
  • Em julho, as vendas de etanol pelas unidades produtoras da região Centro-Sul somaram
    2,12 bilhões de litros, dos quais 185,83 milhões de litros destinados à exportação e 1,93
    bilhão de litros ao mercado interno. Do total comercializado no mercado interno, as vendas
    de etanol anidro atingiram 823,70 milhões de litros e as de etanol hidratado somaram
    1,11 bilhão de litros.
  • Nos últimos 15 dias de julho, a venda interna do etanol anidro alcançou 427,28 milhões de
    litros – praticamente igual àquela apurada para a mesma quinzena de 2016 (427,00
    milhões de litros). Sobre o etanol hidratado, o volume comercializado atingiu 564,14
    milhões de litros na segunda quinzena do mês.
Did you find apk for android? You can find new Free Android Games and apps.