Capital da cana, Sertãozinho tem saldo positivo de US$ 700 mi na balança comercial

Conhecida mundialmente como capital da cana-de-açúcar, Sertãozinho, no interior paulista, registra invejável saldo positivo na balança comercial.

Empresa fornecedora de equipamentos de Sertãozinho: balança comercial tem superávit de US$ 700 milhões
Empresa fornecedora de equipamentos de Sertãozinho: balança comercial tem superávit de US$ 700 milhões

Polo de quase 500 empresas fornecedoras para o setor sucroenergético, sede de algumas das principais usinas do País e da maior feira do setor, a Fenasucro, Sertãozinho foi beneficiada pela depreciação do real.

Com a alta do dólar, a indústria de Sertãozinho ganhou competitividade e fechou janeiro com alta de US$ 700 milhões na balança comercial. É quase três vezes mais que a alta registrada no mesmo mês de 2015, que foi de US$ 250 milhões.

As informações estão no boletim Comércio Exterior do Ceper/Fundace.

Conforme o estudo, o saldo da balança comercial da cidade cresceu ao longo de todo o ano de 2015 e também no início de 2016 principalmente devido à melhora de competitividade propiciada pela depreciação do Real e à leve recuperação do preço do açúcar.

Comparativo

O Boletim também traz dados sobre a balança comercial de Ribeirão Preto, que vem oscilando desde janeiro de 2013 até os dias atuais. Em julho de 2014, por exemplo, o saldo era de menos de US$ 5 milhões, tendo passado para quase US$ 20 milhões em janeiro de 2015 e voltando a menos de US$ 10 milhões em janeiro deste ano.

Sobre a diferença considerável entre o saldo da balança comercial de Sertãozinho e Ribeirão Preto, os pesquisadores do Ceper explicam que a primeira tem forte desempenho exportador baseado em produtos agroindustriais, justamente àqueles que o País possui maior competitividade.

Exportações e importações

O valor de produtos exportados da região de Ribeirão Preto saltou de US$ 1,2 bilhão em janeiro de 2015 para mais de US$ 1,4 bilhão em janeiro de 2016. Enquanto isso, as importações, que eram de quase US$ 200 milhões no início do ano passado, caíram para menos de US$ 150 milhões este ano.

No município de Ribeirão Preto, as exportações e importações possuem valores semelhantes, ambas girando em torno de US$ 200 milhões.

Quem é o Ceper:

O Centro de Pesquisa em Economia Regional foi criado em 2012 e tem como objetivo desenvolver análises regionais sobre o desempenho econômico e administrativo regional do País. Sua criação reúne a experiência de diversos pesquisadores da FEA-RP da Universidade de São Paulo em pesquisas relacionadas ao Desenvolvimento Econômico e Social em nível regional, a análise de Conjuntura Econômica, Financeira e Administrativa de municípios e Gestão de Organizações municipais, entre outros.

A iniciativa de criação do Centro foi dos pesquisadores Rudinei Toneto Junior, Sérgio Sakurai, Luciano Nakabashi e André Lucirton Costa, todos da FEA-RP/USP. Os Boletins Ceper têm o apoio do Banco Ribeirão Preto, Imobiliária Fortes Guimarães, São Francisco Clínicas e Construtora e Incorporadora Stéfani Nogueira.

Quem é a Fundace:

A Fundação para Pesquisa e Desenvolvimento da Administração, Contabilidade e Economia (Fundace) é uma instituição privada sem fins lucrativos criada em 1995 para facilitar o processo de integração entre a FEA-RP e a comunidade. Oferece cursos de pós-graduação (MBA) e extensão em diversas áreas. Também realiza projetos de pesquisa in company além do levantamento de indicadores econômicos e sociais nacionais regionais.

X