Cana pressiona preços agrícolas em 2012; queda da cultura chega a 5,38%

img4740

A variação negativa dos preços da cana mascararam a forte elevação dos preços de grande parte dos produtos agrícolas paulistas em 2012. Os dados são do Instituto de Economia Agrícola – IEA/Apta da Secretaria de Agricultura e Abastecimento do Estado de São Paulo.  “Recuperando-se parcialmente da queda de produtividade provocada pela seca de 2011, a cana-de-açúcar teve seus preços reduzidos em 5,38% na variação anual”, afirmam Luis Henrique Perez, Danton Leonel de Camargo Bini, José Alberto Angelo, Eder Pinatti e José Sidnei Gonçalves (in memoriam).

Os pesquisadores ainda avaliam que a cana-de-açúcar, embora com variação menor, exerceu forte pressão sobre o índice, derrubando-o em mais de 10 pontos percentuais. Na avaliação da variação acumulada, o IqPR – Índice Quadrissemanal de Preços Recebidos pela Agropecuária Paulista registrou alta de 5,24% no ano de 2012. “Ao se excluir a cana-de-açúcar – produto de grande importância na composição dos indicadores –, cujos preços caíram 5,38% durante o ano, o IqPR registra variação positiva, subindo 15,41%, puxado principalmente pela ascensão de 17,17% dos produtos vegetais”, explicam.

Na análise das variações de preços, comparando dezembro de 2012 com o mesmo mês de 2011, as maiores altas foram da batata (245,61%), da soja (67,03%), do arroz (54,16%), do feijão (44,67%), trigo (40,02%), frango (37,18%), tomate para mesa (32,48%), ovos (22,22%), carne suína (21,77%), milho (18,95%) e leite B (6,24%), todos com elevações superiores à inflação acumulada no período.

O IEA revela que o ano de 2012 apresentou clima muito atípico com precipitações pluviométricas acima da média em junho e abaixo da média em agosto e setembro, prejudicando o desenvolvimento de várias culturas. “Daí a quebra de produtividade da safra de inverno paulista, que reduziu a oferta de batata no mercado e, consequentemente, elevou seus preços nos últimos meses do ano”, diz em nota.

X