Câmara Federal aguarda autorização da presidência para votar projeto da venda direta de etanol

Cunha na audiência pública sobre a venda de etanol: proposta não colide com o RenovaBio (Foto: Divulgação)

A Câmara Federal aguarda autorização da presidência da Casa para votar o projeto de lei que permite a venda direta de etanol aos postos combustíveis.

A informação é de Renato Cunha, presidente do Sindaçúcar-PE, que defende a venda direta do biocombustível sem a intermediação das distribuidoras.

O projeto que permite a venda direta de etanol é o Decreto Legislativo (PDC) 978/18, do senador Otto Alencar (PSD-BA), que busca sustar parte da Resolução 43/09, da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), que limita o comércio de etanol combustível a distribuidor autorizado pela agência e ao mercado externo.

Leia também: 

“Usinas devem começar a vender etanol direto para os postos em novembro”, afirma presidente do Sindaçúcar-PE

Cunha participou na terça-feira (06/11) de audiência sobre a venda direta de etanol promovida pela Comissão de Defesa do Consumidor da Câmara, em Brasília.

“A audiência foi importante e [o representante do Conselho Administrativo de Defesa Econômica, Cade, Ricardo de Castro] é a favor que o assunto evolua pela venda direta alternativa”, afirma o presidente do Sindaçúcar-PE ao JornalCana.

“A venda direta alternativa de etanol pelas usinas não é excludente com as vendas às distribuidoras”, destaca.

RenovaBio

Conforme Cunha, a venda direta de etanol pelas usinas “não colide com a Política Nacional de Biocombustíveis, o RenovaBio.”

Essa ‘colisão’ é defendida por representantes do setor sucroenergético como a União da Indústria da Cana-de-Açúcar (Unica).

A venda direta, afirma o presidente do Sindaçúcar-PE, colabora com o RenovaBio “por não despender óleo diesel em transportes desnecessários nos passeios atuais do etanol [entre a usina, a base distribuidora e o posto de combustíveis]”.

“A venda direta é melhor para o meio ambiente do que idas e vinda para as bases distribuição para só depois o etanol chegar aos postos”, dispara.

 

 

X