Brenco vai exportar álcool anidro para a americana Lyondell

A Brenco (Companhia Brasileira de Energia Renovável) assinou na quarta-feira passada, em Houston, no Texas (EUA), um contrato para exportar álcool anidro para a companhia de petróleo Lyondell.

Os volumes e a duração do contrato não foram divulgados pelas duas empresas. Mas, de acordo com Rogério Manso, vice-presidente comercial e logística da Brenco, trata-se de um contrato de longo prazo e volumes expressivos.

Segundo Manso, o álcool anidro que será fornecido pela Brenco vai ser utilizado pela Lyondell para a produção de ETBE (éter etílico terc-butílico), um aditivo que após ser processado pela indústria americana, será exportado para o Japão.

A Brenco vai exportar o álcool anidro a partir das duas primeiras unidades bioenergéticas da Brenco, instaladas em Goiás, usina Morro Vermelho, e em Mato Grosso, unidade Alto Taquari, que terão início de operação previsto para 2009.

Em 2010, três novas unidades da empresa entram em operação: Água Emendada (GO), Costa Rica (MS) e Paranaíba (MS), que também fornecerão parte do álcool negociado com a Lyondell.

Em 2009, as duas plantas da Brenco vão produzir no total 320 milhões de litros de álcool. Em 2010, com as outras cinco unidades em operação, os volumes subirão para 1 bilhão de litros por safra.

O produto será escoado por meio da infra-estrutura logística integrada desenvolvida pela Brenco. A empresa investirá US$ 1 bilhão na construção de um duto, que interligará Alto Taquari (MT) ao Porto de Santos (SP). Com investimentos programados em R$ 5,5 bilhões para 2015, a Brenco deverá contar com até 12 unidades industriais. A empresa visa atingir capacidade de processamento de 44 milhões de toneladas de cana-de-açúcar por ano – equivalente à produção anual de 3,8 bilhões de litros de etanol – com co-geração de 690 MW de energia elétrica a partir do bagaço da cana.

X