Brasil tem potencial para etanol de celulose, diz CEO da Novozymes

O Brasil é, atualmente, o país onde a produção de etanol de celulose pode se expandir mais rapidamente, disse nesta quarta-feira, 26, o executivo-chefe (CEO) da fabricante de enzimas industriais Novozymes, Peder Holk Nielsen.

Segundo o executivo, o processo industrial que transforma talos e folhas de cana de açúcar em etanol avançou o suficiente para produzir um substituto da gasolina a um preço competitivo, dependendo do custo da biomassa usada na produção. O CEO da Novozymes também afirmou que a tecnologia pode aumentar consideravelmente o volume de etanol produzido a partir de um acre de cana de açúcar. ´Não é apenas uma adição marginal, é praticamente o dobro, se considerarmos a produção de etanol por hectare.´

O Brasil é o maior produtor e exportador de açúcar e o segundo maior produtor de etanol depois dos Estados Unidos. Enquanto nos EUA o biocombustível é produzido a partir do milho, no Brasil, a matéria-prima utilizada é a cana.

Uma empresa brasileira está construindo, em Alagoas, uma usina que usará a enzima da Novozymes para produzir etanol celulósico, segundo o vice-presidente da Novozymes, Sebastian Soderberg. A companhia está em contato com grandes processadores de açúcar no País para tratar da adoção da nova tecnologia. Contudo, ele ponderou que ´ainda é cedo para dizer´ quando a Novozymes vai fechar outro negócio com uma empresa brasileira. Fonte: Dow Jones Newswires.

X