Brasil poupa US$ 4,4 bi ao deixar de importar máquinas

A substituição de importações em alguns setores nos últimos quatro anos impôs um novo campo de discussão: se o país corre o risco de sofrer defasagem tecnológica e de qualidade ao deixar de incorporar componentes e insumos importados à produção local. “A menos que haja um bloqueio comercial, ninguém mais produz carroça”, diz Júlio Sérgio Gomes de Almeida, do Iedi.

“O padrão (do produto fabricado internamente) tem que ser semelhante ao internacional. Dólar a preço elevado não cancela importação. Se o produto não tem qualidade, o interessado vai preferir comprar importado”, completa. A Abimaq (Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos) calcula que entre janeiro de 1999 e setembro deste ano, o país tenha poupado US$ 4,4 bilhões com a substituição de máquinas importadas por equipamento nacional. (Folha de SP)

X