Brasil incentiva países vizinhos a apostarem na produção de biocombustíveis

O Governo brasileiro incentivou hoje os países latino-americanos a apostarem na produção de biocombustíveis para reforçar a segurança alimentar na região.

O diretor do departamento de biocombustíveis do Ministério de Minas e Energia, Ricardo Dornelles, disse hoje no Chile que a indústria das energias renováveis “é o caminho para a agricultura”.

“Muitos países não têm a agricultura bem estabelecida, na maioria das vezes por falta de acesso aos mercados internacionais”, comentou Dornelles à Agência Efe.

“Se conseguimos criar uma atividade agrícola para os biocombustíveis, os próprios agricultores serão capazes de produzir alimentos em suas terras e contribuirão para sua segurança alimentar”, acrescentou.

Dornelles participou da inauguração do 5º Seminário Latino-Americano e do Caribe de Biocombustíveis, realizado hoje e amanhã na capital chilena.

O encontro, coordenado pela Organização Latino-Americana de Energia (Olade), reúne especialistas e representantes governamentais e de organismos internacionais para analisar a produção de biocombustíveis na região.

De acordo com Dornelles, a inovação tecnológica é o fator determinante para o êxito dos biocombustíveis, e adiantou que a próxima novidade é a produção de diesel a partir de cana-de-açúcar.

O secretário-executivo da Olade, Carlos Flórez, disse que o Brasil tem uma grande vantagem sobre seus vizinhos na produção de biocombustíveis porque produz bioetanol desde os anos 70 e geograficamente tem um “grande potencial agrícola”.

Flórez destacou que outros países “com vocação agrícola”, como a Colômbia, estão avançando rapidamente no desenvolvimento de combustíveis naturais.

Para Flórez, a segurança alimentar na América Latina não corre perigo, ao contrário do que acontece nos Estados Unidos, onde “se produz biocombustível procedente do milho”.

X