Brasil dará contribuição fundamental na formação do mercado de etanol

“O desenvolvimento de um mercado mundial de biocombustíveis significa, para o Brasil, muito mais que produzir e vender. É desejável que outros países também iniciem sua produção e a transferência da tecnologia nacional pode ser uma forma de favorecer esse mercado, principalmente, para países em desenvolvimento”. A posição é do secretário de Produção e Agroenergia do Ministério da Agricultura, Manoel Bertone, que participa da Conferência Internacional de Biocombustíveis, em São Paulo.

Bertone afirmou que a conferência é um momento favorável para reforçar o biocombustível como uma alternativa interessante de renda sustentável para países em desenvolvimento.

Durante a primeira sessão plenária do evento, que discute a relação entre biocombustíveis e segurança energética, o especialista americano em energia e alimentos Paul Roberts disse que é preciso pensar em um mundo sem petróleo por causa das limitações de fontes, dos custos e do impacto ambiental.

“Nem todas as alternativas disponíveis são ambientalmente vantajosas e, nesta transição, o Brasil tem muito a contribuir com sua experiência na produção de etanol de cana-de-açúcar”, completou.

Até a próxima sexta-feira, a Conferência Internacional sobre Biocombustíveis abordará temas como mudança de clima, mercado internacional para esses combustíveis, segurança energética, pesquisa e desenvolvimento. Nos dias 20 e 21, haverá reuniões de alto nível com ministros e organismos internacionais dos quase 50 países participantes, incluindo o ministro da Agricultura, Reinhold Stephanes.

X