Brasil ainda estuda processo contra subsídios ao etanol nos EUA

A abertura de um processo na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra os subsídios americanos ao etanol ainda está na pauta do governo brasileiro.

O embaixador Roberto Azevedo, representante permanente do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC), disse que o governo ainda estuda a possibilidade de um processo contra os subsídios americanos na OMC. “Os estudos estão sendo feitos em coordenação com o setor privado”, afirmou Azevedo, que participou na terça-feira da 8ª Conferência Datagro de Açúcar e Álcool.

Marcos Jank, presidente da Unica (União da Indústria da Cana-de-Açúcar), disse que o setor sucroalcooleiro está empenhado em questionar os subsídios americanos, mas a decisão só deverá ser tomada após as eleições presidenciais americanas. “Vamos conversar com o novo governo”, afirmou. O processo contra os EUA seria a última instância, segundo Jank. Primeiro, os entendimentos deverão ser feitos via negociação hemisférica. “Os governo do Brasil e dos EUA assinaram há um ano e meio um memorando de entendimentos para discutir o mercado de etanol”, afirmou Jank. Os EUA cobram uma tarifa de US$ 0,54 por galão para importar o produto.

X