Braços mecânicos

Na Feira Internacional de Máquinas, Ferramentas e Sistemas Integrados de Manufatura (Feimafe) deste ano, que ocorreu entre 12 e 17 de maio, em São Paulo, a ABB prestou atenção em um universo de clientes muito maior que em edições anteriores. Se antes as montadoras de automóveis e auto-peças eram as compradoras exclusivas desses equipamentos, hoje, indústrias de eletroeletrônicos, manufatura e produtos de consumo em geral já respondem por 20% das vendas da ABB nessa área e ajudam a impulsionar os resultados. Em 2002, a ABB dobrou o volume de vendas em sistemas de automação e robótica para indústrias automotivas, de manufatura e de consumo.

Número 2.000

Desde 1984, a ABB já vendeu e instalou 1.950 robôs no Brasil, em empresas de todos os setores. O primeiro robô da ABB vendido no Brasil foi para a General Motors, em 1987. Em 1998, a mesma GM adquiriu o 1.000º. Se para vender as primeiras mil unidades a ABB demorou 11 anos, a marca de 2.000 robôs comercializados pode ser alcançada na metade do tempo. Com 1.950 robôs no parque industrial brasileiro, a ABB espera entregar o 2.000º até o fim deste ano. Um dos atrativos é a flexibilidade. Os robôs são comumente utilizados em funções insalubres e perigosas, apresentando redução de custos e aumento da produtividade. O tempo médio entre falhas em um robô é de 50 mil horas.

Sobre a ABB

A ABB ( www.abb.com.br ) é líder em tecnologia de energia e automação voltada ao aprimoramento da performance de clientes dos setores industriais e de concessionárias, reduzindo seus impactos ambientais. A ABB possui cerca de 135.000 funcionários em mais de 100 países.

X